terça-feira, 3 de novembro de 2009

Arquivistas tentam salvar memoria digital do Geocities

fonte: http://www.enara.org.br/modules.php?name=News&file=article&sid=935

GEOCITIES é OFICIALMENTE ENCERRADO

Lançado em 1994, o Geocities foi um dos mais importantes serviços de criação de sites antes do advento dos blogues. É o fim de uma era, dizem muitos. O Geocities, fundado em 1994 e comprado pela Yahoo em 1999, foi o primeiro serviço a permitir a uma grande parte dos internautas partilhar os seus interesses de forma simples, um pouco à semelhança do que acontece agora com os blogues e as redes sociais.

O percurso do serviço termina hoje, segunda-feira, após a perda de popularidade para sites como o Myspace ou o Facebook. Será lembrado por alguns como um democratizador da Internet e, por muitos outros, como um local povoado de páginas de animações rudimentares e muito pouca informação revelante. O certo é que o serviço Geocities tornou possível ao utilizador comum construir uma página simples e colocar online conteúdo, numa altura em que a Internet ainda não era, verdadeiramente, a "autoestrada da informação" que conhecemos e utilizamos hoje em dia.


Para além de não ser possível efectuar registo no serviço, também todos os dados armazenados nos milhões de páginas criadas ao longo dos anos será apagado permanentemente a partir de hoje,
segunda-feira.


No entanto, segundo o Computer World, uma equipa de arquivistas digitais está a tentar salvar o máximo de informação possível, através do download do conteúdo colocado nas páginas criadas pelos utilizadores do Geocities. O volume de informação que o grupo estima conseguir acumular ronda os dez terabytes.

Um comentário:

Maria disse...

É UM GRANDE DESAFIO PARA OS ARQUIVISTAS, A PRESERVAÇÃO DO AUDIOVISUAL, DEVIDO ÀS CONSTANTES MUDANÇAS E INOVAÇÕES. oS ARQUIVISTAS ESTÃO PERANTE UM NOVOE GRANDE DESAFIO.
Alexandra Vidal
Aluna do curso de Pós-graduação em ciênciasda informação e documentação - variante arquivo, universidade fernando pessoa - Portugal.